Setembro marca o início do calendário escolar. O que para muitos é uma dor de cabeça para outros é a oportunidade de um começo fresco. O ambiente que nos rodeia é essencial para determinar a qualidade do estudo e da dedicação que se pode obter na leitura e aprendizagem. Estudar num lugar onde o ruído da televisão é abundante vai apenas determinar o insucesso de qualquer iniciativa de estudo – e desta forma o resultados que se esperam no novo ano letivo.

Do ponto de vista da arquitetura recomendam-se cores claras e leves e a iluminação deve ser o mais natural possível. A bancada de estudo deve ter no mínimo 100cm de largura para que um computador portátil e um livro possam ser abertos lado a lado – por exemplo.

Para além destas pequenas regras é importante que o quarto seja o mais acolhedor possível. E porque cada caso é um caso, é importante ter em consideração a personalidade de cada um. A imposição é muitas vezes um dos fatores que desmotivam os mais pequenos em sentirem-se à vontade no próprio quarto ou sala de estudo. Na hora de dividir um quarto em dois – local de dormir e local de estudar – um não se deve sobrepor ao outro.

Ter um quarto de estudo é essencial e deve evitar-se ao máximo a cama ou o sofá como local privilegiado para a aprendizagem. A organização do espaço é a palavra de ordem. Um espaço organizado fomenta uma mente organizada e passa uma agradável imagem de limpeza e harmonia. Para além de luz, organização e design também a cadeira deve ser levada em consideração. Está provado que a cadeira ideal para estudo deve ser giratória e ter apoio para braços.

Um estudo da Universidade de Columbia, divulgado pela revista “Scientifc American”, revelou que o vermelho é ótimo para tarefas que exijam concentração e o azul é bom para liberar a mente em atividades criativas.

Se tem alguma outra dica sobre quartos de estudo deixe-nos uma mensagem e ajude-nos a criar um blog mais dinâmico e atrativo para si e outros leitores.